quarta-feira, 13 de março de 2013

Nos anos cinquenta era assim




Talvez os mais novos fiquem incrédulos e esbugalhem os olhos para tentar perceber o que se passava aqui, com toda esta gente carregada e sorridente.

A cena passa-se em cima da antiga ponte quando a estrada que estava a ser construída desde o Rolão ainda ali não chegava. Era uma ponte toda ela em pedra, bonita na sua arquitectura, mas que por questões económicas e de segurança teve que dar lugar à actual.

A professora Maria Irene Abegão que leccionou na escola do Colmeal na segunda metade da década de cinquenta, tirou esta fotografia no final do ano escolar quando com sua irmã mais nova partiu para as suas férias junto da família que as esperavam em Coimbra.

Da esquerda para a direita e lamentamos não poder identificar todas as pessoas, reconhecemos Emília Gaspar (conhecida por Ti Emília da Eira), Carminda e Ermelinda Freire, Maria Margarida (de cócoras) a irmã mais nova de Irene Abegão, Hermínia de Jesus, Miquelina e Fátima Freire. Quando se ia ou vinha de férias, era como “andar com a casa às costas” e por isso a quantidade de malas, cestos e caixas, tinham como se pode ver, de ser transportadas à cabeça até ao cimo da serra onde se apanhava a camioneta da carreira.

Acreditem que é verdade. Durante muitos e muitos foi assim. A União Progressiva empenhou-se muito para que a estrada chegasse ao Colmeal e tirasse a aldeia do isolamento em que se encontrava. Demorou mas conseguiu.

Foto cedida por Maria Irene Abegão


1 comentário:

Mario Martins disse...

Eram tempos muito dificeis ,mas sempre com um sorriso a minha saudosa mãe sempre com um sorriso ,é a quarta da direita para a esquerda ,muitas saudades desses tempos